quarta-feira, junho 07, 2006

Cartas de Amor Ridículas 7 (remanescência fragmentada)

Debaixo da tua janela,
sem te poder falar...
O telemóvel desligado...
Em cada liberdade uma cela.
Tentei telefonar.
O contacto cortado.
A tua voz rechaçada,
o teu cabelo furtivo;
eu num vão de escada,
venerando, exaltando
o teu jeito torcido;
eu aqui tão perto,
sem nada;
apenas um desprezo típico,
feminino e altivo.


(...)
(entre o limpa pára-brisas e o pára-brisas...)

Etiquetas:

5 Comments:

Anonymous Johnny said...

Bonito! :)

O abraço
fui

quinta-feira, junho 08, 2006 12:29:00 da tarde  
Blogger Davi Reis said...

;)

quinta-feira, junho 08, 2006 1:03:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

entre o limpa pára-brisas e o pára-brisas soa-me algo familiar....

sexta-feira, junho 09, 2006 12:42:00 da tarde  
Blogger Davi Reis said...

Fiquei intrigado, "anonymous"...

sexta-feira, junho 09, 2006 12:53:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
»

sábado, julho 22, 2006 6:26:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home