quarta-feira, julho 23, 2008

Contrição Transfigurada

Sou um pecador secreto
que à noite murmura os Teus perdões,
sangrando, na dúvida,
a dúvida blasfema de Existires.

Antes crer para ver,
nunca divisando o Teu rosto,
que não ter fé por querer-Te sangrando,
Rei posto.

Brota o Teu sangue do caule da flor que colhi;
escorre a seiva em minhas mãos nuas;
recaem sobre elas os pecados de mim,
inconsequentes,
pelo mero prazer de oferecer uma rosa
e a minha seiva zelosa ao prazer.


Não há reino sem prosa;
face sem rosto;
traseiro sem costas;
rebanho sem lobo.


Na dúvida,
sou um pecador secreto
que à noite murmura os Teus perdões.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger carla said...

Muito bom!
Tenho dito.

quarta-feira, julho 23, 2008 8:27:00 da tarde  
Blogger PiresF said...

E vão dois a dizer o mesmo.

Abraço.

quarta-feira, julho 23, 2008 10:14:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home