domingo, janeiro 03, 2010

Por Aquela Estrada - nova canção cordiana a encetar 2010



Há exactamente um ano, no dia 2 de Janeiro, publicava aqui mais um post de lançamento (mundial, diga-se!) de uma canção. A iniciar 2010, o Caderno de Corda tem novamente o prazer de apresentar a última canção da autoria deste que vos escreve, totalmente composta, tocada, cantada, produzida e masterizada por mim, em casa, apenas com uma uma guitarra, um baixo, um shaker e voz.
Mais uma vez, foi tudo gravado no Micro BR, da Boss, o estúdio digital mais pequeno do mundo - um four-track digital sobre o qual já escrevi (AQUI, por exemplo, quando o comprei) e que faz maravilhas, apesar de caber num bolso. Apenas a bateria é programada - o Micro BR tem um sequenciador de bateria, com centenas de padrões.
"Por Aquela Estrada" junta-se assim a algumas experiências anteriores totalmente a solo entretanto já indexadas na minha página do Reverb Nation. No player acima encontram-se agora à cabeça duas versões da canção, com duas masterizações distintas: uma mais cheia e compacta, a que chamei "dance hall mix", e outra mais viva mas menos impactante, a que chamei "live mix". O Caderno de Corda serve novamente de suporte para o lançamento (leia-se publicação) de uma canção inédita, publicada poucas horas depois de terminada a sua masterização. Como membro da banda Baby Jane, devo sublinhar que o que aqui se ouve poderá servir, no futuro, de rascunho para adaptação da banda.
De referir que todas as canções deste player estão agora disponíveis para download gratuito. Para tal, basta clicar em "download".

* Por Aquela Estrada (letra) *

Adivinhei o que vais dizer
como desfolhando um malmequer.
Bem me quer, muito pouco ou nada,
como se eu descesse só por aquela estrada

Onde o rio se torna verso
da margem errada
e nos separa...

Eis que não sei por onde ir
nem ao que vim sem te ver sorrir.
E ao sentir que o amor aparta
deixei-me ir por aquela estrada

Onde o rio se torna verso
da margem errada
e nos separa
num sentido inverso
à prosa da estrada
- um poema que em nós não acaba...

Onde o rio me tem submerso
e o poema acaba
na folha rasgada...

Etiquetas: ,

3 Comments:

Blogger Madalena said...

Linda...!!!!

(identifiquei-me mais com a 1ª versão)

"..deixei-me ir por aquela estrada...", " - um poema que ...não acaba..."

Tb gostei mt das outras...singela opinião (naturalmente!)..vale para mim!

Feizmente há quem tenha estes dotes e os partilhe com Outros...

Parabéns e Muito Obrigada!!

domingo, janeiro 03, 2010 12:08:00 da tarde  
Blogger Madalena said...

Depois de ouvir, "reouvir" (neologismos é comigo...quem não gostar...pf, passar a frente!)esta música enquanto trabalho...vêm-me à mente algumas palavras. Questiono-me: Será que DR leva a mal registá-las aqui? Arrisco! Noutro local não me apetece...

Caminhada

Amigo, vai...
Não esperes por mim...

Segue essa estrada!
Porque não certa?
Porque não adequada?
Talvez seja melhor assim...

Não olhes para trás,
não vejas olhos tristes...
Segue a tua jornada!
Quiçá um dia voltarás,
e deixará de haver fim.

Mas, vai...
Não pares na folha rasgada,
Não esperes por mim!

Thank you for all the wonderful songs and their meaningful content.

I wish for you that the New Year in its total potential be the opportunity to manifest your magnificence as the Being that you are.

That you experience peace in creating meaning through your endevoure and all the lives that you touch constantly ..by using words as you know to do so well!!

domingo, janeiro 03, 2010 10:07:00 da tarde  
Blogger Arnaldo Lemos said...

A música está excelente! O próximo concerto é quando?

Abraço...

segunda-feira, janeiro 04, 2010 1:05:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home