sexta-feira, janeiro 02, 2009

Fado Morse - nova canção "cordiana" a encetar 2009



Davi%20Reis


Fado Morse é a mais recente canção que compus e gravei - a quarta que se encontra no player acima. Posso dizer que é triste - talvez desajeitadamente ao sabor temível de um ano de anunciada crise e desejos de prosperidade. Apesar de pouco conseguida, deu-me água pela barba. Tive inúmeros problemas com o cartão de memória utilizado na gravação - sempre caseira, claro está, com o meu muito querido four track digital Micro BR, da Boss.
Como eu escrevia, o cartão empancava com erros sucessivos como "drive busy" ou "card read error" a partir do momento em que tencionava finalizar guitarras e passar às vozes - estamos a falar de cerca de 10 a 12 vias até então. O cartão SD de que vos falo, e que não recomendo veementemente, é um Lacor. Aqui deixo, pois, a nota como publicidade negativa - dever de consumidor. No entanto, pela positiva, acontece que, em acto de desespero e impotência, depois de tentadas todas as artimanhas humanamente possíveis de enganar a máquina, decidi-me pela compra de novo cartão. Pedi o melhor e recomendaram-me o SanDisk Extreme III. Cerca de 19 euros. Posso dizer que o comprei, terminando o trabalho num ápice e muito eficazmente, sem quaisquer falhas ou erros que me obrigassem a recorrer a backups guardados no PC.
Lamentavelmente, a música, cujas gravações foram retomadas recentemente, ficou a perder - e muito - com a minha justificada impaciência, tendo sido finalizada já em desespero de causa, na tarde de dia 30, antes que uma tragédia de bits esbaforidos ocasionasse nova rotura incontornável da gravação digital. Como estou ainda cansado da noitada, além de com alguma azia sem dúvida proporcionada pelo consumo moderado de álcool, deixo-vos a letra abaixo e em boa verdade vos digo que estou à espera de críticas. Relembro-vos, no entanto, que não sou cantor nem pretensão a isso tenho. Aliás, as vozes, por serem a última coisa a gravar, foram de facto "os instrumentos" menos cuidados nas gravações daquela tarde de 30, aparte solitárias e nocturnas sessões de phones nas orelhas e olhos postos no ecrã minimal do Micro BR. Este é, pois, um esboço de canção que podia estar melhor, mas que também não me envergonha.
Note-se que "Fadomorse" é o nome de um grupo nacional e de um dos temas do mesmo grupo, que, aliás, se recomenda. Descobri-o agora, depois de "googlar" as palavras "fado morse". Espero que a rapaziada não fique sentida comigo... Pode ser que a SPA faça vista grossa, por o meu título separar as duas palavras. Devo ainda referir o nome de José Carlos Ary dos Santos, um dos meus poetas preferidos, de quem adaptei uma frase que o poeta escreveu para um dos fados interpretados por Carlos do Carmo no álbum "Um Homem na Cidade".
* Fado Morse *

Bem sei,
não valem mais que dois pintores
os quadros que fotografei,
as paisagens e as flores
- cumes agudos como as dores,
pontiagudas, celestes e puras
como o sol de Verão.

Além...

Dei
por um quadro dois pintores,
paisagem que fotografei,
em moldura e a cores
- cumes agudos como as dores,
pontiagudas, nas paredes nuas
do museu de mim.

Alguém...

Etiquetas: , , , ,