terça-feira, setembro 26, 2006

Site da RTP publica plágio descarado de texto do Caderno de Corda (IV)

Nesta quarta entrada sobre a questão do plágio perpetrado pela RTP ao Caderno de Corda, devo recordar o estimado leitor de que, no dia 8 de Setembro, quando consultei o site da estação para confirmar as horas de emissão do filme “Loose Change”, encontrei uma sinopse que não era mais do que um plágio descarado (ainda assim imperfeito) de um texto aqui publicado no dia 8 de Abril deste ano. Escrevi, então, uma carta, publicada no dia 18 de Setembro, utilizando, para os devidos efeitos, um link presente na página da RTP onde ainda se encontra a suposta sinopse de "Loose Change". Foi também no dia 18 de Setembro que publiquei, na primeira entrada a este propósito, uma carta remetida ao Sr. Paquete de Oliveira, Provedor do Telespectador da RTP, através DESTE link. Até hoje, não obtive qualquer resposta ou satisfação, sendo que a sinopse plagiada permanece online e inalterável.
Entretanto, preocupado com a possibilidade de tudo isto cair no esquecimento movediço do tempo, nomeadamente, preocupado com a eliminação da prova (a página da RTP onde se encontra o texto plagiado), fiz uma busca no Google. Desde logo percebi que se tornara impossível apagar o erro, pois a prova tornou-se durável e ubíqua - graças à honestidade intelectual da maioria dos bloggers que utilizaram o texto, atribuindo à RTP a autoria... Ao que parece, é a blogosfera que dá ensinamentos éticos e deontológicos a quem deles não pode, por princípio essencial, prescindir...
Em “carta aberta” (publicada numa caixa de comentário do Caderno de Corda) a Rui Semblano, d’ A Sombra, com quem tenho partilhado esta “pequena angústia”, escrevi:
“Adianto-te que só não fiz ainda nada para denunciar o caso na imprensa e na tv (seria tão fácil fazê-lo à SIC ou à TVI) pelo respeito que tenho à instituição RTP e por acreditar na seriedade do Sr. Paquete de Oliveira. Hoje [23 de Setembro], no seu curto programa, fez menção a cartas de reclamação que visavam a mudança de horário de "Loose Change", aquando da sua primeira emissão. Uma teria sido a tua, por certo. Se, neste curto período de tempo, o assunto pôde ser processado a ponto de se editar o programa, porque espero eu ainda por uma resposta escrita?Se se tratasse de outro órgão de informação, seria eu que não pensava duas vezes... Porque demoram tanto os senhores da RTP a responder-me? Poderá a prova (página da RTP onde se encontra a sinopse) ser eliminada entretanto? Esfumar-se-á isto com o passar sorrateiro dos dias? Como já havia escrito, o Caderno de Corda é um blogue intimista que se pretende assim. Não farei campanhas, muito menos contra a RTP. Mas exijo uma resposta e o reconhecimento do erro. Caso contrário, terei de agir. Escreverei brevemente a esse propósito e estabelecerei um prazo após o qual não mais salvarei a face da televisão pública.”
Agora, dada a indiferença a que fui votado, agirei em defesa dos conteúdos originais do Caderno de Corda (em especial os poéticos), para que, dado o exemplo, não volte a ocorrer situação semelhante. Os próximos posts serão decisivos. Peço a vossa atenção. Porque quem cala consente...
Links para as outras entradas sobre o tema:

Etiquetas: ,

6 Comments:

Blogger RS said...

Como te disse, penso que deveremos demonstrar o nosso desagrado pelo que te aconteceu, não porque TE aconteceu, mas porque poderia ter acontecido a QUALQUER UM DE NÓS.
Nesse sentido, penso que estarás a escrever um texto padrão que todos os bloggers poderão e deverão enviar ao Provedor do Telespectador da RTP (numa primeira fase).

Aos que, sem saber, plagiaram o Caderno de Corda, atribuindo a autoria do texto à RTP, seria ainda mais interessante participar nesta iniciativa.

Aguardo notícias e sabes que estou contigo 100%.
Abraço,
RS

quarta-feira, setembro 27, 2006 1:32:00 da manhã  
Blogger Davi Reis said...

Como sempre, de clarividência e acutilância invejáveis... Na mouche, Rui. Serás o primeiro a conhecer as notícias por que aguardas... Sem ti, creio que as notícias seriam outras.

Um abraço fraterno

quarta-feira, setembro 27, 2006 1:49:00 da manhã  
Blogger RS said...

Do papel do Provedor do Telespectador (e do Ouvinte):

Embora assumindo a condição de representantes do Ouvinte e do Telespectador, os Provedores agem como instância mediadora nos conflitos entre, por um lado, os Ouvintes ou os Telespectadores e por outro, todas as Estações de Rádio ou de Televisão associadas no Serviço Público.
Não basta ao Gabinete dos Provedores assumir-se apenas como repositório de observações, protestos e eventuais queixas oriundas dos Ouvintes ou Telespectadores.


Ou seja, ele DEVE responder-te, sobretudo tratando-se de uma situação como esta.
A ver vamos se responde a algum de nós, chegada a altura.

Abraço,
RS

(e com esta vou deitar-me!)

quarta-feira, setembro 27, 2006 2:23:00 da manhã  
Blogger Davi Reis said...

BINGO again!

quarta-feira, setembro 27, 2006 3:23:00 da manhã  
Anonymous Johnny said...

...continuo atento!

O abraço
fui

quarta-feira, setembro 27, 2006 5:49:00 da tarde  
Blogger Davi Reis said...

Muito brevemente mesmo, Johnny.

Aquele abraço

quinta-feira, setembro 28, 2006 11:55:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home