domingo, novembro 27, 2011

"O Que Há-de Vir" vem ao mundo pela Corda do Caderno








ComScore


"O Que Há-de Vir" é uma canção um bocado complexa e não muito ortodoxa do ponto de vista da composição à guitarra. A estrutura nunca se repete, tal como a melodia e o fraseado da voz. Pode dizer-se que há quase três refrães, mas não se assemelham entre si. Nada disto foi imposto ou propositado, mas resultado de uma procura longa pela nota seguinte; pelo tom multiforme e dinâmico do "discurso" que ouvia antes de ouvir, sem que este se subjugasse a ideias preconcebidas acerca do que deve ser o formato de canção. Todo o processo foi extenso e muito espartilhado. A gravação propriamente dita e a composição da letra terão durado cerca de três semanas, sem grande metodologia e com intervalos, mas a estrutura já estava feita - guias de guitarra incluídas - há alguns meses.


Acontece que, desde que comprei a guitarra electro-acústica Ibañez EWC-30 (cordas de aço), queria compor uma coisa tendo por base o instrumento. Foi assim, procurando retirar da guitarra o seu brilho natural (cuja acústica ainda não sei aproveitar plenamente com o equipamento de que disponho), que cheguei à harmonia de "O Que Há-de Vir": tocando e experimentando diferentes situações com a EWC-30. As linhas de guitarra eléctrica foram tocadas com uma Duesenberg Starplayer TV.


"O Que Há-de Vir" está desde já disponível no Reverb Nation em duas versões, e a diferença cinge-se à masterização: uma versão está em "Live Mix" e a outra em "Dance Mix", ambos presets do four-track Micro BR da Boss. A versão "Live Mix" é mais "ampla" e "húmida", ao passo que a versão "Dance Mix" é mais grave e um pouco mais "quente", embora possa distorcer ligeiramente em algumas aparelhagens, consoante a equalização. Optei por colocar esta última à cabeça, como versão privilegiada. Mais uma vez, o Caderno de Corda é o suporte de lançamento (leia-se publicação) de uma canção inédita.


Antes de concluir o post com a inserção da letra de "O Que Há-de Vir", reforço que esta e as outras gravações disponíveis no player acima foram, à excepção de "Italian Wool" (1999) e "Universo de 1" (2000), inteiramente produzidas, gravadas, masterizadas, produzidas, you name it, no minúsculo four-track da Boss chamado Micro BR. De recordar que, em "Por Aquela Estrada", tive o privilégio e a honra de contar com a amizade e a colaboração do saxofonista inglês Mark Cain. Ainda assim, sublinhe-se que, neste Micro BR Sport Billy, que é fantástico, as limitações são inúmeras se compararmos o sistema ao do estúdio caseiro mais modesto. Para melhor audição, aconselha-se o uso de headphones.


Todas as canções originais deste player estão disponíveis para download gratuito.

Clique em "download".

* O Que Há-de Vir - letra *

Em nós todos os sonhos
por tudo o que quisermos ser.

Por tudo o que não somos,
somos outros sem querer.

Vem ao meu encontro,
dou-te o meu ombro
e vamos descobrir
que só há Sonho
se os dois sonharmos
o que há-de vir...

- O que há-de vir...

O que há-de vir?
Nada a perder.

O que há-de vir
se eu nada fizer?
Há-de ser melhor fazer
por merecer
termo-nos aos dois
ao amanhecer
- juntos temos tudo
e nada a perder.

Em nós todos os sonhos por realizar...
os sonhos de nós todos.

O que há-de vir?
O que há-de ser?

Em nós todos os sonhos
por tudo o que quisermos ter.

Por tudo o que não temos,
somos outros sem querer.

Por tudo o que não somos,
somos outros sem querer.

Etiquetas: ,