terça-feira, outubro 29, 2013

Manhã de Sábado

Sábado de manhã,
sem sonhos de dias floridos,
fecharam-se as portas
atrás das costas.

Sábado de manhã
caíram as folhas secas
como se não quisesses
saber do fim do Outono.

No retrovisor as guitarras tocam
acordes toscos, tangidos
pelas palavras,
sem mãos.

Os olhos esbugalhados
e a pele rugosa, espessa,
desenha intersecções
de ruas e estradas
em Nova Iorque.

Maus fígados
e rock 'n' roll
estão-se a cagar,
além do pensamento
e da expressão.

Dança!

It was alright!

Esteta do Ré e do Sol,
que não sabes por onde vais,
tenta pelo Reino dos homens
chegar a filho de Jesus.

Tu que tomaste grandes decisões,
tenta notificar a vida
de que o sangue ainda corre
depois de reconheceres a morte.

Esteta do Sol e do Ré,
que não sabes por onde vais,
tenta pelo Reino dos céus
chegar a filho de Deus.

Se também nasceste há mil anos
e foste desta para outra terra
num navio grego,
supõe apenas,
mas supõe apenas,
como sempre fizeste,
que achas não saber
coisa nenhuma.

Nos idos de Maio,
em Berlim,
alguém também foi transplantado
e alguém entrou num café
onde se ouvia tocar piano.

Um acorde serve
para temperar o ruído
e resgatar a arte perdida
da conversação.

Arte pop, arte final,
sob o sol do meio-dia
ou a lua da meia-noite,
vem como um oceano
de veludo que acaricia.

À beira-mar, a olhar
o olho da terra que foi,
livre de maus pensamentos
e de egoísmos,
atrás de óculos escuros,
um grão de areia fina
com consciência
do Universo
e uma guitarra nas mãos.

Dedicado a Lou Reed
(2 de Março de 1942 - 27 de Outubro de 2013)
 
Imagem DAQUI

Etiquetas: ,

domingo, outubro 27, 2013

Videoclip de 'O que Há-de Vir'


A canção 'O que Há-de Vir' foi apresentada AQUI, no Caderno de Corda, mais precisamente no dia 27 de Novembro de 2011. Hoje publico o videoclip, realizado com recurso aos primeiros minutos de 'Bench', um vídeo original de Amzakei que se encontra completo no YouTube através do seguinte link:
"A park bench in Hackney, London, shot from spring to winter..." É assim que o autor descreve o seu vídeo. Pleno de simplicidade, e respeitando o conceito, não mexi no filme original. Apenas o cortei, uma vez chegado o fim da canção. O vídeo original dura 8 minutos e 13 segundos. O videoclip, realizado por mim em software gratuito, dura 5 minutos e 3 segundos. 
A música foi composta e gravada integralmente em casa (música, letra, baixo, guitarras, vozes). Mais informações acerca da canção no seu post de lançamento.
 
n. b. - Porque a audição da música é prejudicada pela má qualidade do som pós-upload no YouTube, segue abaixo um player que remete para a mesma, com melhor qualidade de audição, embora num MP3 fraco, é certo. Se o estimado leitor quiser, pode, em local apropriado, e sem procurar muito, fazer o download desta e doutras canções.
 

Etiquetas: , , , ,

quarta-feira, outubro 23, 2013

Vigília II

A barba por fazer,
o cabelo mal aparado,
o Inverno a parecer
entrar-lhe pelas casas dos botões
e um passo apressado
e longínquo.

O País não tem tanta saudade dele
quanto ele do País que pisa.
Saudade do País em que vivia.

No elevador espelhado
olha-se nos olhos
e vê-se a olhar os olhos
que olham os seus olhos,
nos quais se vê apenas
a olhar-se nos olhos.

Inspirado pelo poema 'Vigília', de Ex-Ricardo de Pinho Teixeira

Etiquetas:

sábado, outubro 19, 2013

Especial Pearl Jam na Super FM



Ontem, entre as 22h e as 0h, a SuperFM emitiu um trabalho notável; um especial de duas horas em homenagem aos Pearl Jam. A convite da Sílvia Mendes dei o meu breve testemunho e escolhi uma música. Se puderem, ouçam tudo, que vale a pena, mas encontram-me lá pela 1 hora 33 minutos e 45 segundos.

Etiquetas: , , , ,

quinta-feira, outubro 10, 2013

Reverso da Canção (instrumental)


A minha próxima canção, já composta e pré-produzida (dentro das possibilidades) há largos meses, precisa ainda de uma letra coesa e da gravação da voz. Enquanto aguardo pela disponibilidade do meu amigo Bill, um "recém-pai" que está a gravar baterias comigo, tenho andado em experimentações na mistura das pistas - seja no Reaper ou no Audacity. Foi nessas deambulações experimentais que fiz um reverse do instrumental da canção e... deu nisto. A canção, ouvida assim de trás para a frente, permanece, no entanto, um mistério...

Etiquetas: