terça-feira, setembro 23, 2014

Höfner Ignition Beatles Bass VSB

Acabadinho de chegar da Alemanha, eis o meu novo baixo: o Höfner Ignition Beatles Bass VSB, que foi imortalizado pelo Grande Mestre Paul McCartney. Trata-se, na verdade, de uma réplica do originalmente usado pelo baixista em grande parte das gravações e dos concertos dos míticos The Beatles. O estojo, produzido pela Thomann, é também uma réplica do que Paul usava. Levíssimo e super-maneiro. Como ainda não tive tempo de testá-lo ligado a um amp ou a uma mesa, posso apenas dizer que o som natural, unplugged, dele é já muito aprazível. Veio com cordas roundwound mas, pelo que já li e toquei, mudá-las-ei, a seu tempo, por cordas flatwound, como me parece ser recomendável para este baixo. Uma coisa é certa: hoje já começo a gravar musiquinha nova. 


Etiquetas: , , , , , , ,

quarta-feira, setembro 03, 2014

Nova canção "Filho da Minha Vontade (P'ra Lá dos Lençóis)" em estreia aqui e agora

"Filho da Minha Vontade (P'ra Lá dos Lençóis)" terá começado a ser composta em finais de 2013/início de 2014. O primeiro esboço foi ainda apontado no gravador digital de quatro pistas Micro BR, da Boss, mas, entretanto, com a compra do BR-800, acabei por concluir a canção neste último gravador, de oito pistas e mais um par de sapatos. Apesar de ter a canção totalmente composta e gravada (à excepção da voz) há muito (provavelmente desde Março ou Abril de 2014), só na noite passada (madrugada deste dia 3 de Setembro) gravei algumas pistas de voz que faltavam, masterizei e de imediato publiquei no meu quartel-general das canções - leia-se ReverbNation.  
A canção terá tido a sua origem quando tocava o Guitalele GL-1, da Yamaha, que comprei no final de 2013, e constitui, até ao momento, a materialização mais sólida de uma ideia original embalada pelo som desta espécie de ukulele barítono acústico com seis cordas de nylon (uma pequena viola com som de ukulele e afinação em LÁ).
Apesar do andamento mellow da canção, entre aquilo que à partida poderia ser mais easy going (e listening) e aquilo que seria decorrente da minha experiência directa e das minhas preocupações mais prementes e efectivas, optei por escrever uma letra o mais pessoal possível, cujo subtexto é mais agri do que doce. Dedico-a ao meu pai, ainda que ele não o saiba aquilatar.
Antes de enumerar os instrumentos usados na gravação, devo mencionar a colaboração do meu querido e velho amigo Nuno 'Dino' Rodrigues, que me recebeu em sua casa, no seu estúdio caseiro, para gravarmos juntos o coro que se ouve entre os 2'35'' e os 3'07''. Pela primeira vez na história das gravações caseiras desta casa existe por ali outra voz que não a minha, mas deseja-se que o "efeito" seja mais notório e presente no futuro. Estamos a trabalhar nesse sentido e mantém-se a promessa do surgimento abrupto de mais canções no curto prazo - canções essas que estão há muito em linha de produção, embora em stand by de processos.
Por fim, antes da letra da canção, fique registado que, à excepção do coro já referido, gravado em casa do Dino, tudo foi feito no gravador digital de oito pistas Boss BR-800 com o microfone de condensador largo Golden Age Project FC3, uma pandeireta, um shaker artesanal de madeira, um Guitalele Yamaha GL-1 e as guitarras electro-acústica Ibañez EWC-30 de cordas de aço e a eléctrica Duesenberg Starplayer TV.  

Todas as canções originais, à excepção da canção mais recente, estão disponíveis para download gratuito.

Clique em "download".

* Filho da Minha Vontade (P'ra Lá dos Lençóis) - letra *

Vem, deixa-te aninhar.
Perdi-me p'ra te encontrares.
És tu quem me viu nascer...
eu sou Édipo sem querer...

Dorme e come, 
deixa a confusão
p'ra lá dos lençóis.

Vais deixar-me sem memória,
olhos fundos, perdidos, a boiar sem glória,
e eu vou ver como a Liberdade
rouba um beijo às portas da cidade
- saudade de sentir saudade,
filho da minha Vontade...

Bem pode chover lá fora
e nem que a terra trema,
estás a salvo sob a minha asa
numa casa que o Amor sustenta.

Mas eu vou ver como a Liberdade
rouba o Sol à tarde...
Nada temas, volto p'ra abraçar-te.

Não estás só. Não estás só...

Come e dorme, 
deixa a confusão
p'ra lá dos lençóis.

Etiquetas: , ,